08/08/2017 17h31

Sindicato Rural de Ribas emite nota oficial sobre morte de bois na Fazenda Mônica Cristina

 

O Sindicato Rural diz em nota que a descrição dos fatos é necessária de acordo com a cronologia, para melhor compreensão do ocorrido.


Por: Rodrigo dos Santos/Rádio90FM

FOTO: Luciane Campos

NA FOTO: Empresário Rural Vanildo Oliveira que é da diretoria do Sindicato, presidente do Sindicato Rural Robson Velos Ribeiro e o médico veterinário Daniel Almeida.NA FOTO: Empresário Rural Vanildo Oliveira que é da diretoria do Sindicato, presidente do Sindicato Rural Robson Velos Ribeiro e o médico veterinário Daniel Almeida.

O presidente do Sindicato Rural de Ribas do Rio Pardo (MS), o médico veterinário Robson Velos Ribeiro, emitiu na tarde desta terça-feira, 8 de agosto, após reunião com membro da diretoria, nota oficial sobre a morte dos mais de mil bois na fazenda Mônica Cristina, entre 2 e 5 de agosto no município de Ribas.

Diante da suspeita dos bovinos terem morrido de botulismo e, diante da repercussão nacional do caso ocorrido em somente uma propriedade do município, o Sindicato Rural sentiu a obrigação de fazer o esclarecimento para evitar prejuízo ainda maior.

NOTA OFICIAL

O Sindicato Rural de Ribas do Rio Pardo, na qualidade de representante da classe produtora local, esclarece e reforça na oportunidade o caso de mortalidade de bovinos ocorrida na última semana no município, amplamente divulgada pela mídia nacional e redes sociais.

A descrição dos fatos é necessária de acordo com a cronologia, para melhor compreensão do ocorrido:

1) A propriedade Fazenda Mônica Cristina é situada em Ribas do Rio Pardo, próximo a divisa do município com Campo Grande.

2) A mortalidade dos animais ocorreu inicialmente entre os dias 02 e 05 de agosto de 2017, num volume acima de 1000 animais, com números totais ainda a serem apurados pelo proprietário da fazenda.

3) A propriedade está na atividade pecuária há 42 anos, atuando há 11 anos no segmento de confinamento de bovinos.

4) Apesar da suspeita clínica indicar a ocorrência de botulismo, o diagnóstico final e os laudos que comprovarão a real causa da mortalidade ainda serão expedidos com base nos exames laboratoriais que já estão sendo realizados.

5) O IAGRO, MAPA e a UFMS já foram comunicadas do fato e as providências para o diagnóstico e controle da enfermidade estão sendo tomadas com agilidade.

No intuito de não fomentar a disseminação de conclusões inverídicas, informamos que é desnecessário alarmar condições que possam questionar a qualidade sanitária do rebanho bovino de Ribas do Rio Pardo, Mato Grosso do Sul e do Brasil. Por tratar-se de suspeita clínica de um problema de ordem tóxica, considera-se o episódio de forma isolada, sem nenhum risco de contágio da doença para outros bovinos. As carcaças dos animais foram destinadas a locais dentro dos padrões requeridos pelos órgãos de defesa sanitária animal. Não existe possibilidade do caso gerar desconforto para a população, por não se tratar de um problema infectocontagioso.

Como entidade que representa a classe de produtores rurais do município, neste ato cumprimos o dever de esclarecer a todos o andamento e as resoluções dos fatos para os problemas que ocorram nos setores representados por este sindicato.

Att.

Robson Velos Ribeiro

Presidente do Sindicato Rural de Ribas do Rio Pardo

 

Envie seu Comentário