28/10/2018 14h56

Três pessoas são presos por tirar foto de urna em Ribas do Rio Pardo

 

Ainda de acordo com o delegado, esse é o terceiro preso por crime eleitoral no município e ele vai responder pelo art° 312 do código eleitoral por tentativa de violação do sigilo do voto.


Élvio Góes/90FM

De acordo com o delegado da Polícia Civil do município, Bruno Santacatharina, o homem entrou na cabine de votação com o celular e tirou fotos da urna aparecendo o respectivo candidato.De acordo com o delegado da Polícia Civil do município, Bruno Santacatharina, o homem entrou na cabine de votação com o celular e tirou fotos da urna aparecendo o respectivo candidato.

Mais um homem, que não teve a identidade revelada pela Polícia Civil, foi preso por crime eleitoral depois que tirou uma foto da urna no momento da votação, na tarde deste domingo (28), em Ribas do Rio Pardo. Outros dois homens que também não tiveram os nomes divulgados foram presos em flagrante pelo mesmo crime.

De acordo com o delegado da Polícia Civil do município, Bruno Santacatharina, o homem entrou na cabine de votação com o celular e tirou fotos da urna aparecendo o respectivo candidato. "Ele tentou fugir da sessão eleitoral, mas após diligências, conseguimos rastrear o endereço e ele foi detido", disse.

Ainda de acordo com o delegado, esse é o terceiro preso por crime eleitoral no município e ele vai responder pelo art° 312 do código eleitoral por tentativa de violação do sigilo do voto.

OUTRAS PRISÕES

As outras duas prisões, de dois homens de aproximadamente 30 anos que não tiveram os nomes divulgados, ocorreram por volta das 9h30 e das 10h30 em dois colégios eleitorais diferentes em Ribas do Rio Pardo, a 97 quilômetros da Capital.

Os dois homens entraram na cabine de votação com aparelho de celular e registraram os respectivos votos. O artigo 312 do Código Eleitoral (L. n. 4.737/1965), diz que é crime "violar ou tentar violar o sigilo do voto", a pena pode ser de até dois anos de detenção.

"A Polícia Civil realiza o trabalho de efetuar a prisão em flagrante em Ribas, pois não há Polícia Federal. Vamos concluir a investigação e encaminhar para a Justiça Eleitoral. Os dois serão liberados no fim do dia, mediante o compromisso de comparecerem quando forem intimados pela Justiça", explicou o delegado da Polícia Civil responsável pelas prisões, Bruno Santacatharina.

 

Correio do Estado/PCMS

Envie seu Comentário