22/11/2017 17h19

Engenheiro do Tribunal de Contas diz que consórcio é solução na gestão do lixo e único caminho para Ribas

 

Na sexta-feira (17 de novembro), o engenheiro ambiental do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul, Fernando Silva Bernardes esteve em Ribas do Rio Pardo.


Por: Redação 90 FM

O engenheiro ambiental do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul, Fernando Silva Bernardes ressaltou que esse é o caminho mais viável para Ribas.O engenheiro ambiental do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul, Fernando Silva Bernardes ressaltou que esse é o caminho mais viável para Ribas.
 

OUÇA A ENTREVISTA ABAIXO

 
 

Desde 2014 todas as cidades do país são proibidas de usar lixões. Milhares de prefeituras ainda descartam os resíduos sólidos a céu aberto, em terrenos sem qualquer tratamento para evitar a contaminação do solo, como é o caso de Ribas do Rio Pardo. A lei sobre resíduos sólidos deu quatro anos para que os municípios substituíssem os lixões por aterros sanitários.

De acordo com o engenheiro ambiental do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul, Fernando Silva Bernardes para cidades do porte de Ribas do Rio Pardo, com menos de 100 mil habitantes, é inviável construir aterro sanitário. Isso foi o que comprovou estudo do próprio TCE-MS.

Diante disso, prefeitos de vários municípios que tem o mesmo problema criaram consórcios para juntos resolverem o problema do lixo de suas cidades. Uma alternativa sustentável e economicamente viável para a destinação do lixo.

Os prefeitos de Selvíria, José Fernando Barbosa; o presidente do CIDECOL (Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento da Costa Leste), prefeito Ronaldo Miziara (Paranaíba); José Arnaldo (Inocência); Edvaldo Alves de Queiroz, "Tupete" (Água Clara); Paulo Cesar Lima, "Paulo Tucura" (Ribas do Rio Pardo), em reunião esse ano em Paranaíba, assinaram o edital de licitação para o transporte e transbordo de resíduos sólidos dos cinco municípios.

O objetivo é acabar com os lixões nos municípios dando uma destinação correta para o lixo evitando assim, danos ou riscos à saúde pública e minimizando os impactos ambientais.

Na sexta-feira (17 de novembro), o engenheiro ambiental do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul, Fernando Silva Bernardes esteve em Ribas do Rio Pardo e conversou com vereadores, com o prefeito e também com o jurídico da Câmara, explicando sobre a necessidade urgente dessas mudanças.

Envie seu Comentário