11/10/2017 09h28

Em extinção, tatu de 36 quilos morre depois de ser atropelado

 

Animal será taxidermizado


Por: Aline Machado

FOTO: divulgação PMA

O tatu será utilizado em trabalhos de Educação Ambiental na oficina Museu de Fauna.O tatu será utilizado em trabalhos de Educação Ambiental na oficina Museu de Fauna.

Um priodontes giganteus, popularmente conhecido como tatu-canastra, morreu depois de ser atropelado na MS-395 entre Anaurilândia e Bataguassu. De acordo com a PMA (Polícia Militar Ambiental), o animal pesava 36 kg e está na lista brasileira de espécies em extinção.

A PMA informou de que o animal foi congelado e encaminhado para Campo Grande para ser taxidermizado, ou seja, empalhado. Depois do processo, o tatu será utilizado em trabalhos de Educação Ambiental na oficina Museu de Fauna.

Tatu-canastra

Conforme a PMA o tatu-canastra pode medir um metro de comprimento, além de 50 centímetros de cauda e pesar até a 60 kg. Sua carne saborosa e armadura resistente fez com que se tornasse raro.

Com patas enormes, as unhas chegam a 20 centímetros. Este animal habita os campos e cerrados de todo o Planalto Central do Brasil e Floresta amazônica. Ele faz grandes buracos para se alojarem têm hábitos noturnos.

Os tatus-canastras são encontrados próximo de riachos e lagos e se alimentam de aranhas, cobras, insetos, larvas e vermes. As fêmeas têm de um a dois filhotes por vez.

Midiamax

 
comments powered by Disqus